integração de setores

Integração de setores: saiba quais índices devem ser medidos

Há algum tempo, o mundo empresarial percebeu que a integração de setores é primordial para a gestão de um negócio. Se os times têm boa comunicação, se trabalham com processos bem estruturados e seguem sequências lógicas de atividades, a integração de setores flui de uma maneira mais harmônica e eficiente.

Não é mais possível pensar em times isolados, que só se encontram nas festas de final de ano. E isso independe do tamanho da organização, uma vez que a sistematização operacional é definidora do sucesso no mundo dos negócios.

Uma gestão empresarial integrada vai bem além dos controles administrativos; torna a operação mais ágil e produtiva, melhora a atração e retenção de talentos, contribui para a redução de custos, aumenta a competitividade do negócio e muito mais.

É sobre isso que vamos refletir ao longo deste artigo. Continue lendo para entender porque a integração de setores é importante e também quais indicadores e índices podem ser adotados para garantir uma medição mais precisa dos resultados que ela oferece!

A integração de setores como parte essencial da cultura empresarial

O gerenciamento de negócios é composto por um conjunto de processos usados ​​para administrar da melhor maneira possível. Inclui os papéis desempenhados por vários setores (áreas, departamentos) que formam a empresa para alcançar objetivos variados.

Anteriormente, quando os negócios eram geridos de maneira intuitiva, era comum ver cada setor trabalhando isolado dos outros, preocupando-se exclusivamente com suas próprias responsabilidades.

Hoje, essa visão “vertical” da hierarquia empresarial está cada vez mais dando espaço para processos e pensamentos sistêmicos. A essa mudança, muitos estudiosos creditam alterações na cultura empresarial dos últimos vinte anos. Ou seja, a eficiência não é mais perseguida e medida verticalmente, dando lugar a uma operação mais holística e integrada.

Empresas que já possuem uma cultura empresarial voltada para a integração de setores — ou que estão trilhando este caminho — passaram a perceber relações mais produtivas e sinérgicas entre os diversos times que as compõem.

Essa nova cultura está baseada em diálogo entre as áreas, na colaboração e na prática de assumir objetivos e metas conjuntos (processos, planos de ação e estratégias intersetoriais).

Ter um objetivo comum é o primeiro passo para estabelecer a integração de setores. Se cada área for diferente da outra, é fundamental encontrar pontos de convergência para que todos caminhem na mesma direção.

Um dos elementos que forneceram as bases para essa cultura de integração é a tecnologia da informação (TI). Por meio de sistemas integrados, as empresas conseguem criar sequências lógicas de atividades, tornando seus processos muito mais enxutos e produtivos, além de controlar os custos operacionais com mais praticidade e sucesso.

Indicadores e índices que ajudam a mensurar os resultados da integração de setores

Também os índices e indicadores de desempenho (metas, métricas, estatísticas etc.) são fundamentais para que a cultura de integração empresarial seja efetivada. É com eles que é possível estabelecer objetivos comuns entre as equipes e visualizar os resultados em tempo hábil.

Confira, a seguir, quais são os indicadores e índices mais comuns que as empresas usam para dimensionar seus esforços de integração e também acompanhar resultados.

Eficiência na comunicação interna

Depois de estabelecer regras e proporcionar canais de comunicação entre os setores, é importante definir indicadores para ter certeza de que os times estão dialogando.

É possível verificar, por exemplo, os índices de utilização do e-mail corporativo e o tráfego de arquivos entre os departamentos (e como as pessoas colaboram dentro desses arquivos).

Estabelecer projetos conjuntos também ajuda a melhorar a eficiência da comunicação e da colaboração da comunidade interna. Os líderes podem definir indicadores de desempenho conjunto, estimulando os profissionais a interagirem mais em busca de objetivos comuns.

Engajamento entre as equipes

A princípio, o engajamento parece uma ideia muito abstrata, difícil de mensurar. Mas hoje, com tecnologia e métodos de gestão inovadores, é possível dimensionar o quanto os times engajam-se em metas específicas.

Por exemplo, é possível utilizar aplicativos em que os profissionais podem registrar suas ações em determinados projetos, dialogar e propor soluções para problemas e desafios conjuntos.

Criar meios para que as pessoas deem seus feedbacks também pode ser muito útil. A partir dos retornos, é possível avaliar o que está funcionando e o que precisa ser melhorado para tornar as pessoas mais engajadas.

Aderência à cultura de integração de setores

Por meio da observação dos líderes, mas também com tecnologia e processos bem estruturados, é possível verificar o quanto os profissionais aderem à cultura de integração em seu dia a dia de trabalho.

É fundamental medir o engajamento, pois é ele que determinará o quanto a integração de setores vai se tornar um valor organizacional. Como sabemos, somente os valores arraigados permanecem vivos e dando frutos no ciclo de vida empresarial.

Melhorias no clima organizacional

Estabelecer responsabilidades conjuntas e resultados compartilhados não pode simplesmente ser uma ordem. É importante trabalhar para que as pessoas acostumem-se a colaborar.

É aí que o clima organizacional (a boa convivência, a competitividade saudável) deve ser levado em conta. Isso é conseguido com transparência por parte das lideranças, ações de integração e motivação, recompensas por desempenho em equipe etc.

Potencialização da produtividade conjunta

Com papéis bem definidos, tanto individualmente quanto em atividades interseccionais, é possível mensurar a produtividade conjunta dos setores.

Isso, é claro, só é possível quando as lideranças criam indicadores para as metas que devem ser perseguidas e alcançadas em cada plano de ação ou projeto específico.

Comparar o desempenho dos times antes da integração com o que é obtido a partir dela também ajuda na mensuração.

Logicamente, também nesse quesito, é importante estabelecer metas de ganho gradativo de produtividade. A cobrança disso precisa vir acompanhada da conscientização de que a união pode tornar todos mais eficientes.

Redução de custos operacionais

Outro índice importante que deve ser mensurado em uma estratégia de integração de setores é a redução de custos.

Genericamente falando, é possível levantar os gastos que os times têm trabalhado isoladamente e projetar economias com o aumento da colaboratividade e do trabalho em conjunto. É possível, por exemplo, estabelecer metas a partir do controle de centros de custos compartilhados.

Que tal, a integração dos departamentos já é uma realidade em sua empresa? O que achou da reflexão trazida neste artigo? Leia agora: Qual a importância da integração de setores na gestão empresarial?

Comentários

comentários

Juliano da Monitora
Produtor de Conteúdo na Monitora