Planejamento estratégico

Planejamento estratégico: aprenda como elaborar em 6 passos

Crescer de forma sustentável é um dos principais objetivos das empresas. De que maneira é possível concretizar essa ação? Uma boa resposta é por meio do planejamento estratégico, que consiste em um conjunto de atividades a serem executadas para uma companhia se destacar no mercado.

Contudo, não basta apenas traçar metas e fazer um diagnóstico da situação da empresa. É necessário também fazer com que os colaboradores estejam envolvidos com o que a corporação deseja efetivar para manter ou alcançar uma posição de prestígio.

Neste post, destacamos seis procedimentos vitais para elaborar um planejamento que ajudará o seu negócio a evoluir. Confira!

1. Defina metas e objetivos

Um passo importante para a montagem da estratégia corporativa é estabelecer o que deve ser efetivado para a organização atingir um patamar de excelência. Em outras palavras, é preciso determinar as metas que devem ser alcançadas nos próximos meses ou anos.

Se não houver esse direcionamento, os funcionários ficarão confusos e apenas cumprirão as tarefas de forma repetitiva e mecânica. É fundamental que os objetivos sejam explicados de forma clara e possam ser concretizados dentro do prazo.

Do contrário, a equipe vai ficar desmotivada e deixará de contribuir de maneira efetiva para o crescimento do negócio. Mostrar qual é o caminho a ser seguido é uma iniciativa crucial para uma empresa sair do lugar e se diferenciar dos concorrentes.

2. Faça um diagnóstico do mercado

Para as metas serem relevantes a uma corporação, é recomendado fazer um diagnóstico do mercado. Dessa forma, é possível analisar as atividades feitas pela concorrência e pensar em ações para se tornar uma referência no segmento em que atua.

Também é muito importante que a empresa avalie como ela está posicionada na conjuntura atual. Essa ação pode ser feita avaliando o ambiente externo e o interno por meio da matriz SWOT, que aponta para os seguintes aspectos:

  • S (forças/strenght): destaca os pontos positivos dentro da organização;
  • W (fraquezas/weakness): permite visualizar as deficiências internas;
  • O (oportunidades/opportunity): mostra as possibilidades de alcançar resultados mais expressivos, utilizando os recursos adequadamente e aproveitando o potencial do mercado;
  • T (ameaças/threats): enfatiza fatores externos que podem prejudicar o crescimento do negócio.

Ao conhecer o funcionamento do setor em que atua e identificar os fatores positivos e negativos que impactam na performance, uma empresa tem mais condições de montar um planejamento estratégico voltado para a melhoria contínua.

3. Conheça o público-alvo e os stakeholders

A definição de metas e um diagnóstico do mercado serão úteis para uma empresa, caso haja um conhecimento amplo do comportamento dos stakeholders. Não adianta elaborar os objetivos, se eles não forem devidamente assimilados pelos colaboradores.

Também é inútil adotar novas práticas para conquistar os consumidores, caso o público-alvo não esteja identificado com as ações adotadas. Deve haver um casamento entre as metas estabelecidas e a postura dos funcionários, dos consumidores, fornecedores e demais segmentos afetados pela organização.

Ignorar as preferências do público-alvo é um dos maiores erros que uma companhia pode cometer. Hoje, as empresas precisam ser transparentes e terem os valores reconhecidos pelos stakeholders. Do contrário, o investimento no planejamento estratégico não surtirá os resultados esperados.

4. Fixe as estratégias a serem utilizadas no planejamento estratégico

Ao conhecer o comportamento dos colaboradores e demais segmentos do público-alvo, uma companhia estará mais preparada para concretizar as metas. Para isso, é fundamental criar estratégias que a permitam alcançar os objetivos de forma plena.

Por exemplo, uma empresa deseja aumentar o número de vendas pela internet em 50% nos próximos dois anos. De que forma esse objetivo pode ser efetivado? Isso pode ser feito com a elaboração de uma estratégia, que pode ter como ações:

  • promoções por meio das redes sociais;
  • envio de e-mail marketing com ofertas diferenciadas para clientes mais assíduos;
  • mudanças no layout no site, destacando as principais ofertas;
  • adoção de descontos progressivos, de acordo com o valor das compras feitas pelos consumidores pela web.

Antes de montar a estratégia, pode ser feita uma pesquisa junto ao público-alvo sobre aplicação dessas medidas. É indicado abrir um espaço para sugestões e críticas dos consumidores. A empresa terá uma visão mais apurada sobre o que pode ser efetivado para expandir as vendas.

5. Desenvolva um plano de ação

A estratégia é vital para uma empresa se diferenciar dos concorrentes. Contudo, ela somente trará bons resultados com a elaboração de um plano de ações.

Uma companhia tem como meta reduzir em 50% o tempo gasto para o desenvolvimento de software. Nesse caso, ela pretende adotar uma nova metodologia de trabalho para ser mais rápida e eficiente. Para essa iniciativa ser devidamente concretizada, é essencial que seja montado um cronograma de tarefas a serem feitas.

Inicialmente, é preciso comunicar os funcionários sobre as mudanças na forma de criar sistemas na empresa e o relacionamento com os clientes. Em seguida, é importante que haja um treinamento para capacitar a equipe a trabalhar de acordo com as premissas da organização.

Outra medida interessante é iniciar a fase de testes para identificar eventuais dificuldades e formas de contorná-las. Com essas medidas, é possível fazer com que a mudança ocorra de maneira tranquila para todos os envolvidos, o que ajuda a gerar resultados consideráveis com o planejamento estratégico.

6. Monitorar as atividades realizadas

É inegável que elaborar estratégias e montar planos de ações são iniciativas válidas para uma organização evoluir. Mas elas precisam de um acompanhamento para avaliar os impactos das tarefas realizadas.

Ao adotar parâmetros de desempenho, uma companhia tem mais condições de constatar se está no caminho certo. Não faz sentido estabelecer uma série de metas e não verificar como a empresa está atuando para concretizá-las.

Por isso, o monitoramento assume um papel de destaque no mundo corporativo atualmente. Com essa iniciativa, é viável ter uma ação mais proativa para identificar erros e pensar em iniciativas para reverter cenários negativos relacionados à organização.

O planejamento estratégico deixou de ser uma atividade de luxo para ser uma peça-chave na rotina das empresas. Se não houver ações voltadas para o sucesso a médio e longo prazos, uma companhia estará inibindo a capacidade de inovar e de se diferenciar dos concorrentes.

Se deseja ficar bem informado sobre as tendências do mercado e da tecnologia, assine a nossa newsletter agora mesmo. O conhecimento sempre ajuda a promover a melhoria contínua!

Comentários

comentários

Juliano da Monitora
Produtor de Conteúdo na Monitora